logo
Português (pt-PT)English (United Kingdom)
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
  • An Image Slideshow
MUSEU
COLECÇÕES
EXPOSIÇÕES
SERVIÇOS E ACTIVIDADES
LOJA
NOVIDADES
INFORMAÇÕES

Newsletter




Autenticação

Partilhar

Facebook Image

 Google Arts & Culture

:: INICIO NOVIDADES
.:: De São Petersburgo a Paris PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Sábado, 2 de Novembro de 2019 // 18:00 h

Solistas da Metropolitana - De São Petersburgo a Paris Primeiro concerto do ciclo “Solistas da Metropolitana” no Museu Nacional da Música. Subordinado ao tema “De São Petersburgo a Paris”, integra a temporada de música de câmara 2019/2020 da Metropolitana. Nonna Manicheva e Juan Maggiorani (violinos), Joana Nunes (viola) e Nuno Abreu (violoncelo) interpretam obras de Borodin e Luís de Freitas Branco. A entrada é livre condicionada à capacidade da sala.

 

PROGRAMA

 

Há duas condições que, estando reunidas, são meio caminho andado para os encantos da música de câmara despontarem com fulgor: a interpretação ao vivo e a singularidade do repertório. Resta então a vontade e o cuidado de quem toca e quem ouve. Sendo assim, adivinha-se aqui um momento muito especial da presente temporada dos Solistas da Metropolitana. Em dois fôlegos, somos transportados de um extremo ao outro da Europa num lapso de tempo em que os estilos musicais sofreram profundas mudanças, a transição do século XIX para o século XX. Tudo começa com o quarteto de cordas que Alexander Borodin fez estrear no início de 1882 em São Petersburgo. Apesar de ter pertencido ao Grupo dos Cinco, que se distinguiu pelo cunho nacionalista, Borodin aproximou-se nos seus quartetos da tradição clássica germânica. No Scherzo deste segundo quarteto não escondeu o apreço que tinha por Mendelssohn. Já a generosidade melódica do Notturno é genuinamente russa. Será, provavelmente, a sua criação mais célebre. Viajamos depois até Lisboa, se bem que inspirados em Paris. Terá sido nesta cidade que Luís de Freitas Branco iniciou a composição do seu único quarteto de cordas, quando em 1911, aos vinte anos de idade, ali conheceu Debussy, cuja ópera Pelléas et Mélisande o impressionara alguns meses antes, em Berlim. A depuração tímbrica e harmónica que se estende ao longo dos quatro andamentos é testemunho desse encontro. É uma partitura marcante no catálogo do compositor português.

 

ALEXANDER BORODIN (1833–1887) – Quarteto de Cordas N.º 2, em Ré Maior (1881)
I. Allegro moderato
II. Scherzo: Allegro
III. Notturno: Andante
IV. Andante - Vivace

 

LUÍS DE FREITAS BRANCO (1890–1955) – Quarteto de Cordas (1911)
I. Moderado
II. Vivo
III. Lento
IV. Animado

 


SOLISTAS DA METROPOLITANA

 

Ciclo que contempla a realização, sempre às 18 h, de concertos de entrada livre de Música de Câmara por músicos da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

 

02/11/2019 - De São Petersburgo a Paris
Nonna Manicheva e Juan Maggiorani (Violinos) / Joana Nunes (Viola) / Nuno Abreu (Violoncelo)
Obras de Borodin e Luís de Freitas Branco

 

06/12/2019 - Péchés de Jeunesse
Carlos Damas (Violino) / Jian Hong (Violoncelo) / Anna Tomasik (Piano)
Obras de Ivo Cruz (pai) e Debussy

 

15/02/2020 - Bomtempo e Vincent D'Indy
Alexêi Tolpygo e Ágnes Sárosi (Violinos) / Irma Skenderi (Viola) / Hugo Paiva (Violoncelo) / Francisco Sassetti (Piano)

 

29/02/2020 - Virtuosismo e Belcanto
Diana Tzonkova (Violino) / Ercole de Conca (Contrabaixo) / Anna Tomasik (Piano)
Obras de Bottesini, Verdi, Rossini e Paganini

 

21/03/20202 - Schubert, Beethoven e Cláudio Carneyro
José Teixeira (Violino) / Joana Cipriano (Viola) / Ana Cláudia Serrão (Violoncelo)

 

02/05/2020 - Romantismo Instrumental
Daniel Canas e Jérôme Arnouf (Trompas) / Daniela Radu (Violino) / Andrei Ratnikov (Viola) / Savka Konjikusic (Piano)
Obras de Schumann, Kahn e Brahms

 

+INFO: https://www.metropolitana.pt